domingo, 26 de dezembro de 2010

E no Natal...

O Natal costumava ser uma época de, no mínimo, muita alegria aqui em casa. Toda familia se reunia na casa da minha avó e comíamos, ríamos, brigávamos, trocávamos presentes etc, etc. Há dois anos minha avó morreu e, como um castelo de cartas depois de um sopro, a familia desmoronou. Acredito que ela era o elo que conseguia unir todo mundo. E foi crescendo uma nuvem cinza sobre as luzinhas de natal que nem existiam mais. Não sei o que pensar, mas, desde então o natal nunca mais foi o mesmo. É difícil pra mim "ter que ser feliz" no Natal. Mas afinal, todos somos grandes atores na vida real, não é?! Eu prefiro chorar pra dentro, preciso ser forte. Tem gente que ainda precisa de mim...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Denúncia

Estou cansado dessa miséria de alma, de sentimento, de intensidade. Já me enoja ficar calado diante de tanta imundície.  Não aguento mais pessoas que mais parecem fantoches feitos do mesmo tecido barato de liquidação! Ficou tudo normal demais e eu, não.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Primeiros selos!




Fiquei super contente ao receber os primeiros selos da blogueira Ana, do Molhe-se! E com eles, vem as regras a serem seguidas, então, lá vai:

1.Agradecer a quem me deu esse prêmio
Muito Obrigado pelo selo Ana

2. Partilhar 7 coisas sobre mim
1) Sou teimoso
2) Gosto muito de escrever
3) Tenho facilidade para lidar com as pessoas
4) Converso muito
5) Adoro as artes em geral
6) Gosto de ouvir as pessoas e aprender com elas
7) Não suporto injustiça

3.Escolher 10 blogs para presentear com o selo.
Bom, como não tenho muitos contatos de blogs, vou indicar os selos a 7 blogs que mais gosto, mesmo que estes não venham a por os selos em suas páginas

1) Cheiro de Flor quando ri - anajacomo.blogspot.com
2) A Cor do Sol - rafaella-acordosol.blogspot.com
3) Equilíbrio Bambo - equilibriobambo.blogspot.com
4) Traço a Traço - traco-a-traco.blogspot.com * dedico principalmente à blogueira Carolina
5) Karen Matias (trabalhos lindos!) - karenmatias.blogspot.com
6) Palhaçadas a Parte - palhacadasaparte.blogspot.com
7) Molhe-se - molhe-se.blogspot.com *devolvo com o mesmo carinho com que fui prestigiado

É isso aí, muito obrigado à todos que visitam o blog! Um grande abraço!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Apenas Amigos


Hoje passou na tevê esse filme. A minha história. Acho que esse filme ilustra perfeitamente o que eu passei. É muito fácil achar engraçado, mas eu me reconheço ali, sendo o alvo dos risos, do amor não correspondido e na tentativa de superação. Mas tem um porém: eu não tive um final feliz, eu não consegui me transformar num "canalha pegador" (e nem sei se quero), apesar de saber que é deles que as mulheres gostam (não adianta querer negar). Eu passei a vida inteira tentando provar (até pra mim mesmo) que o sentimento verdadeiro valia à pena, mas eu nunca tive uma resposta disso. Ou as pessoas têm um sério problema em enxergar as outras ou o problema está realmente comigo. Às vezes sinto que deveria estar em um outro lugar onde houvesse quem valorizasse o sentimento. Sei que parece papo de gordo recalcado, mas não é. Isso é a minha vida, quem eu sou e não importa se hoje eu peso 50 ou 100 quilos, na minha cabeça vai sempre existir o gordinho fracassado da escola. Porque eu vivi esse papel, eu sei como foi e as conseqüências disso. Sei também que nem todo gordinho é a vítima, existem alguns que realmente merecem estar no topo do lixo. Mas eu fui da parte dos que choravam dentro de sala, se expunha e era duramente criticado. Eu não sei se sou traumatizado com isso, só sei que consigo ver, ainda hoje, aquele gordinho pedindo socorro na educação física, sem saber o porquê de estar ali.
É... existem coisas que a gente nunca esquece!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Jarra da Lua

De herança da minha avó - além das lembranças - eu ganhei uma jarra em formato de lua. E toda vez que eu tomava suco nela, eu me sentia como naqueles almoços de domingo na casa dela, familia toda reunida, briga, risada, aquela barulheira gostosa que nossos ouvidos reconhecem como nosso. Lembrava também dos sucos de fruta do quintal, ou aqueles de 'pacotinho' mesmo, que tinham um gosto especial porque estavam lá naquela jarra. Hoje, a jarra, que era de vidro, se quebrou e eu senti como se um pedacinho do meu coração também tivesse quebrado. Era como se uma lembrança gostosa da minha avó estivesse indo embora junto com aquela jarra. Eu sei que pode parecer coisa pequena, mas pequeno, pra mim, são aqueles que não sabem que as coisas que realmente têm valor, podem não valer nada. O amor que eu tenho pela minha avó não era de vidro, ele não foi embora, não secou, não morreu.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A propósito...

Eu não sei se alguém vai ler esse texto, na verdade eu nem sei se alguém, além de mim, vem a esse blog. Mas eu espero que, mesmo em oculto, alguém venha aqui e algumas das minhas palavras possa fazer sentido pra alguém, assim como faz pra mim. Eu gosto de pensar que todas as pessoas possuem um jeito único de se emocionar e transmitir essa emoção. Acredito também, que todas as pessoas, estão à procura da sua felicidade, seja ela o que for e tendo o significado que tem para cada um. Eu não sei o que é felicidade e adoraria encontrar soluções para os problemas que estão guardados no cantinho do meu coração. Amo pensar que existe alguém no mundo que tenha o coração bobo como o meu, que se apega fácil, que ama demais, que sofre demais, que sente demais e que se cobra demais. Gosto de pensar que, além dos meus defeitos, algumas pessoas podem ver, através das palavras, quem eu sou e meu propósito aqui. Eu não venho aqui escrever para satisfazer ninguém. Na verdade, é para me satisfazer, é a minha terapia, porque quando escrevo, desabafo. Lógico que fico super feliz quando  vejo que alguém conseguiu ser tocado com alguma palavra daqui e que aquilo fez algum sentido para o dia, ou quem sabe para vida, daquela pessoa. Hoje está sendo um daqueles meus dias de conflito interno onde eu fico remoendo algumas tristezas antigas, chorando lágrimas que já deviam ter secado, mas que eu não consigo esquecer. Acho que a gente deveria vir com a capacidade de parar de sentir por alguns dias para poder tocar a vida sem deixar com que os sentimentos interfiram nas nossas atitudes. Pena que eu não sei ser assim. Até quando ponho o lixo para fora, eu faço com sentimento. E nessa estrada errante (e que não vai dar em nada) de sentir demais eu vou me equilibrando. Adoraria saber se tem mais gente na corda bamba.

domingo, 31 de outubro de 2010

Equilíbrio


Minha mãe sempre disse que encontrar o problema é sempre o começo do processo para poder resolvê-lo. Assim, encontrada a gênese do problema poderemos buscar alternativas para solucioná-lo e, etapa por etapa o solucionaremos por completo. Mas e quando nós não sabemos de onde ele vem? É engraçado admitir o quanto  gostamos de sofrer. Sim, porque todo problema tem um começo e se não tem, é porque geralmente ele foi inventado. Isso mesmo. A maioria dos nossos problemas são inventados e o pior, por nós mesmos. Inventamos problemas porque é mais cômodo achar um outro motivo para podermos culpa-lo por nossas imperfeições. É mais fácil nos enganarmos dizendo que se estamos numa fase ruim é porque a nossa familia é isso, ou aquilo ou alguém nos feriu. Difícil é bancar o 'joão-bobo' e na mesma intensidade que levar uma rasteira, se reerguer, levantar a cabeça. O chão é mais seguro e não é preciso esforço para estar lá! E assim vivemos a maior parte das nossas vidas: no chão, sendo medíocres porque nós mesmos queremos estar lá. Com medo de conhecer nossas dores e traumas cara-a-cara e expulsá-los de dentro de nós. Eu passei muito tempo sendo a vítima até que decidi ser forte o bastante e construí uma escada para sair do buraco. Decidi não ser mais tapete e costurei duas asas.Um dia eu vou voar.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Grito

Eu queria poder parar de sentir. Pelo menos um pouquinho, ou então com menos intensidade. Eu sempre odiei ouvir "querer não é poder" e o pior é que - irônia ou não- isso acabou se tornando quase uma constante na minha vida. Já está enjoativo esse papinho de 'sempre ter que tentar'. Eu cansei!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Nada Mais


Estou cansado. Da eterna procura, de me entupir de um nada particular que me invade. Cansado principalmente de errar, de ter medo, de sentir saudade. Cansado de cicatrizes que não se fecham. Preciso de um segundo de paz, onde a solidão sorria pra mim e diga que ficará tudo bem. Tô precisando de cafuné de vó, de abraço de mãe, de assistir desenho. Eu não tenho um motivo em especial pra me sentir assim, tenho saúde, família, amigos e tudo que dizem que uma pessoa normal necessita para ser feliz. Mas eu não consigo me sentir normal. Acredito que algumas pessoas nascem com essa coisa de sentir demais, sofrer demais. É intensidade demais. Cansei de correr atrás da felicidade, ainda mais porque sei que ela nunca será completa. Queria poder me livrar de mim, dessa carga emocional que me foi imposta. Está pesada demais.

domingo, 3 de outubro de 2010

Agora

A felicidade fala baixinho e a tristeza, grita. È muito fácil se entregar à tristeza, temos motivos de sobra pra isso. Na verdade, acredito que precisamos passar um tempo com ela, em 'banho-maria'. Mas chega uma hora que basta! Se a perfeição é impossível, temos de nos acostumar com as imperfeições que formam o real, o palpável. Não estou dizendo que temos a obrigação de estar a todo momento com um grande sorriso nos lábios. Mas também, não podemos nos afogar no lago de tristezas que cultivamos no 'quintal da nossa alma'. Não podemos pintar o nosso mundo de cinza e construir grandes e fortes muros onde ninguém possa entrar, para evitar o sofrimento. Precisamos dos nossos momentos de tristeza, mas que sejam só momentos. Não podemos deixar se tornar uma constante em nossa vida. A felicidade é um garota difícil, rapaz. Mas com um pouco de charme, paciência e dedicação ela vem. Talvez, ela só esteja esperando a hora certa, em que você esteja preparado para recebê-la.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Quando é que a gente aprende?

Eu gostaria muito de saber o que falar, quando falar. Eu gostaria de ter coragem. De te olhar nos olhos e  dizer que você balança o meu coração. Mas não me sinto suficientemente ao seu nível. Sinto que ainda preciso consertar as coisas dentro de mim, sentimentos ruins que apodreceram com o tempo e formaram lodo no meu coração. Não sei se estou em condições mentais para me apaixonar de novo, mas sei que sinto alguma coisa quando te vejo. Provavelmente esse sentimento vai morrer como nasceu, em silêncio e sem esperanças...

quinta-feira, 23 de setembro de 2010



"Às vezes temos que chorar todas as nossas lágrimas para dar espaço a um coração cheio de sorrisos."
(Haley James Scott- One Tree Hill, 6ª Temporada)

sábado, 18 de setembro de 2010

Experiências

Esta noite estava no shopping e vi um casal “diferente”. Diferente, porque eles deviam ter, no máximo, 12 anos. Isso me fez pensar em quando eu tinha, no máximo, 12 anos. Eu nunca fui o melhor aluno da classe e tenho uma dificuldade gigante para aprender. Também não era da turma dos esportes e sempre fui péssimo em todos eles. E também não fazia parte dos bonitões, era gordinho, usava aparelho fixo e não era nada atraente. E, por um momento, senti inveja daqueles dois que nem sabem direito por tantas coisas que ainda terão de enfrentar. Talvez, quando estiverem com a minha idade, nem tenham mais contato, mas, pelo menos naquele instante, eles eram importantes um para o outro. Senti inveja, porque gostaria de ter tido uma experiência bacana para me lembrar, mas só do que consigo foi de tantas e muitas vezes em que fui motivo de riso, do tanto que tive de superar e aprender a lidar com o simples fato de que eu não era realmente especial no que consideravam importante. Essa fase, a mais complicada das nossas vidas, eu passei tentando descobrir o que eu tinha de valor pra poder mostrar aos outros. Hoje, cheguei à conclusão de o que é realmente valioso em nós é aquilo que não precisa ser mostrado e às vezes, nem precisa ser entendido. É um simples olhar, um sorriso, um abraço gostoso, um rabisco, um gesto, uma palavra... coisas que não podem ser importantes para as outras pessoas, mas que pra nós, tem um valor inestimável. Todos nós temos a necessidade de sermos aceitos, mas essa aceitação vem primeiro em nós mesmos. O amor próprio não é um processo fácil, ele tem de ser trabalhado todos os dias. É preciso que tenhamos o hábito de nos avaliar, de nos corrigir para podermos melhorar sempre. Se você mesmo fica a todo o momento “vomitando” seus defeitos em todo mundo eles são praticamente obrigados a ver a imagem que você projeta de si mesmo. Eu ainda estou aprendendo que o amor precisa nascer primeiro em mim para depois florescer e criar raízes. Eu preciso me amar, me aceitar como eu sou – na condição humana, com muitos defeitos, mas também, com qualidades – para depois esperar que os outros façam isso. 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Às vezes cansa entender

(Ilustração de Karen Matias)

Muitas vezes a vida nos impõe situações que são difíceis de engolir, ainda mais quando temos a nítida sensação de que nada vai mudar e vamos ter que sentir o gosto amargo da mesma situação por toda vida sem poder cuspi-la. Entender o outro, os seus motivos e as suas convicções pode ser muito doloroso e quando esse entendimento nos é imposto, pior. Vem um sentimento de impotência que faz o coração doer e os olhos lavarem o rosto. Mas algumas coisas na vida são simplesmente imutáveis, incorrigíveis e por mais que tentemos maquiá-las, qualquer sopro as fazem voltar à tona e começar tudo de novo: superar tudo de novo, viver tudo de novo, esquecer (se é que é possível fazê-lo) e esperar para que esse ciclo interminável comece outra vez. Muitas vezes me canso de entender, eu queria mesmo era ser entendido, pelo menos uma vez, mas a vida não nos dá escolhas e o nosso pior erro é achar que temos alguma. A vida nos oferece caminhos e nós só escolhemos por qual deles seguir e, muitas vezes, seguir pelo caminho menos escancarado que a vida apresenta pode ser muito e é muito sofrido. Todos nós tentamos juntar as migalhas de nós mesmos que muitas pessoas insistem em espalhar pelo caminho, mas algum dia eu sei que todas elas serão recompostas. Tudo na nossa vida tem um propósito que pode não nos parecer tão visível agora, mas eu acredito que é coisa divina poder sempre recomeçar.  E é assim que vamos lidando com a vida, caindo, levantando, colocando curativos nas nossas feridas, caindo de novo, mas caminhando sempre. Um dia aprenderemos aonde devemos pisar para que os tombos sejam menos dramáticos e a restauração quase imediata. O importante é não desistir, mesmo que seja difícil respirar.

sábado, 28 de agosto de 2010

Amor de Deus

Eu sei que muitas pessoas ao verem o título desse post já vão fechar a página e desistir de lê-lo. As pessoas têm muito preconceito quanto à religião. Mas como não me envergonho do Deus por quem vivo, resolvi vir contar como Ele é maravilhoso! Deus se manifesta em cada instante dos meus dias e sei que Ele é quem traça todos os meus caminhos. Eu não imagino a minha vida sem Deus. Toda vez que me questiono qunto à isso, eu penso que minha vida sem Deus seria vazia e sem sentido. Foi Ele quem soprou a vida em mim, me presenteou com uma família, amigos, talentos e personalidade. Certa vez, ouvi uma mensagem em que disseram "não importa em qual buraco você tenha caído, sua única solução é olhar para cima!". Eu tenho certeza que Deus tem a força exata de que você precisa para poder se salvar. Porque ao invés de Ele te salvar, Ele te dá forças para que você consiga se salvar e ter a certeza de que, com Ele, você pode. Ele tem a cura pra todo seu sofrimento, Ele pode enxugar todas as suas lágrimas e te reerguer. O amor de Deus é bom demais! E em troca, Ele só precisa que você O ame de volta! O amor de Deus é assim... na medida exata para preencher todo o vazio que você possa sentir! Ele não é apenas o seu Senhor, ele é seu Pai, seu amigo e Ele nunca, NUNCA vai desistir de você! Feche os olhos e sinta o amor de Deus soprando os seus cabelos, cantando nos seus ouvidos... simplesmente sinta o gosto inenarrável de sentir Deus em você e com você! Boa Noite!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Meu Amor

Florbela Espanca

"Trago dentro de mim, amortalhado,
Um amor de tragédia, extraordinário,
Amor que é uma cruz sobre o Calvário
Onde o meu peito jaz crucificado!

Amor que é um rosal, já desfolhado,
De pétalas dum branco funerário
Amor que tem os gelos dum sudário,
E as chamas dum inferno não sonhado!

Amor que compreende mil amores,
Amor que tem em si todas as dores,
Amor que nem eu sei o que ele encerra...

Amor de sacrifício e de saudade,
Amor que é um poema de bondade,
Amor que é o maior amor da terra!"


- Dramático, não?! Mas nem por isso deixa de ser belo! Boa noite! Abraços.

sábado, 21 de agosto de 2010

OBS:

Boa noite meus caros! Tenho andado bem displicente com o blog, admito. Mas é que faltam quase 3 meses pro ENEM, enfim... tenho que estudar o máximo possível! Mas como já disse, sempre que puder estarei aqui. Grande Abraço!

"Se quiser gritar, grite. Chore. Cante. Dance. Você precisa liberar todo esse sentimento que existe dentro de você. Não se prenda. Às vezes nossa alma pede socorro e precisamos ter a capacidade de escutá-la!"

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Pequeno


Você já se sentiu pequeno? Do tamanhozinho de um grão? É difícil se sentir desse jeito, ainda mais em questões de amor, sentimentos etc. e tal. È cruel ter que admitir que você simplesmente não possa “competir” com outra pessoa pelo alguém amado. Mas acredito que às vezes é preciso, antes que você mergulhe de cabeça em um sentimento que não vai dar em nada. Mas não acredito que devamos desistir. Como já disse anteriormente eu sou péssimo nesses joguinhos de sedução e acredito que ser sincero é a forma mais correta de agir, sempre. Mas como já dizia minha mãe “nem toda verdade precisa ser dita!”. Concordo e discordo. Sempre me disseram pra quando conhecer uma menina esperar pra que ela me mandasse sinais de que também estava querendo algo mais. Mas, que sinais são esses? Eu nunca consegui ver esses tais sinais que as mulheres enviam ou se achei que tinham enviado, na verdade, não tinham. Sempre achei que nunca consegui despertar o interesse de ninguém. Fica sempre aquela duvida cretina na cabeça “será que tenho chance?”. E nesse meio tempo, sempre tem aquele “carinha” do colégio, ou da rua, cidade... enfim, que tenha convívio com ambos e que, é mais bonito que você, mais rico que você, mais charmoso que você e que todas as garotas são “a fim”, e diz tudo o que você queria ter dito (mesmo que ele não esteja sendo sincero) na boa, com um sorriso confiante e... BINGO! Eles estão juntos. Tem coisas que eu não compreendo! Muitas vezes já quis ser um desses caras, mas hoje em dia prefiro ser eu mesmo. Ainda me sinto pequeno quando estou perto e/ou com eles, ainda mais quando tenho que “competir” por alguém, mas aprendi a valorizar aquilo que eu sou. Eu sei que um dia vou encontrar alguém que me valorize também e que prefira estar comigo a esses sujeitos “que todas querem”. Essa pequenez, na verdade, só existe na nossa cabeça. Cada um é do tamanho que quer ser.

sábado, 14 de agosto de 2010

Mundo Monstro


A falta de cordialidade, de respeito, de amor, de compreensão e de generosidade para com o próximo são marcas do mundo em que vivemos hoje. As pessoas têm coragem de olhar para uma criança com um olhar de repúdio e preconceito pelo simples fato de serem portadoras de necessidades especiais, ou por serem de etnias diferentes, etc. Espero que saibam que, com a mesma voracidade com que elas olham essas crianças, os olhos de Deus estão sobre elas! Todos os dias somos expostos à dura realidade em que fomos inseridos desde que nascemos. À medida que os anos passam, parece que o amor vai se esfriando, as pessoas se afastando... Hoje em dia, amar é coisa de momento. Carinho é para encobrir algum erro cometido. Cordialidade é interesse. No mundo de hoje, homens não choram, não sentem. São uma máquina programada para receber prazer. Os que fogem à regra são considerados motivo de riso e pagam um alto preço por seguirem simplesmente o que sentem. Hoje, eu cansei de fazer parte desse mundo, onde os valores não existem mais e tudo é a ferro e fogo, cada um por si. Queria poder desaparecer por um momento e encontrar esse lugar tão sonhado, onde o meu amor fosse valorizado e aonde amar valesse à pena. Já li vários e vários textos abordando sobre os problemas do mundo de hoje e como nós não podemos resolvê-los: foi o próprio homem quem fez o mundo ficar assim! O que o mundo valoriza (status, dinheiro, fama, beleza...) é muito pouco pra mim. Eu quero é intensidade! Todos os dias, antes de dormir, eu corro pra poder tirar todo o amargo que o mundo germinou no meu coração. Procura-se um coração puro! É você quem decide se quer fazer parte da podridão humana ou se vai fazer a diferença, parafraseando Shakespeare "o meio tem influência sobre você, mas é você o responsável pelas suas escolhas". Termino esse texto com as últimas palavras da Morte em A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak: “OS SERES HUMANOS ME ASSOMBRAM!”

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

NAMORE UM BARRIGUDINHO

Boa noite meus caros! Recebi um e-mail com o seguinte título "Namore um Barrigudinho", achei muito divertido e resolvi postá-lo aqui pra vocês, espero que gostem! Grande Abraço.


NAMORE UM BARRIGUDINHO
(palavras de uma psicóloga experiente)

Tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! Na próxima vez que encontrá-lo, tente disfarçadamente descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo “tanquinho”, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim. Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê. Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma e provavelmente será engraçado, mesmo. Já os “tanquinhos” farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores - e eu tenho dó das que caem. Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com `clight´ que trouxe de casa. E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de refrigerante, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação. E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar. Você nunca irá ouvir um “ah, amor, ‘Quarteirão’ é gostoso, mas você podia provar um `McSalad’ com água de coco”. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará um relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga. Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz!
Outra coisa fundamental: Homens barrigudinhos são confortáveis!
Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível! Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto! E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional. Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar,a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar. É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.
CARLA MOURA
(PSICÓLOGA, ESPECIALISTA EM SEXOLOGIA)

 
P.S.: Parafraseando o Marci (professor de Geografia do meu cursinho): "se eu não fizer propaganda de mim mesmo quem é que vai querer?" HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

domingo, 8 de agosto de 2010

Feliz Dia dos Pais!


Já deu um abraço bem apertado no seu pai hoje? Tá esperando o quê? Corre lá agora e abrace ele e diga que o ama. Família é tudo de bom e não dura para sempre!

sábado, 7 de agosto de 2010

Tudo Passa...



Acredito que todos os dias temos que recomeçar, redescobrir o gosto doce do amor em cada gesto simples em que ele se manifesta. Um dia, tudo passa, mas as lembranças vão te acompanhar pelo resto da vida. Seja sábio, mas não se limite a ser um esboço do que sonha por medo de fracassar. Como diz a letra da canção "o tempo passa e com ele passa a dor" e também uns versos de Quintana¹ que dizem mais ou menos assim "a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional". Entenda que esse momento de tristeza e de solidão não é o sempre e o sempre é tempo demais pra poder ficar sofrendo. É hora de juntar os caquinhos do coração e começar e reconstruí-lo!

P.S.: Assistam o vídeo, a música é linda!
* ¹ Quintana = Mário Quintana (né Brasil?!)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

De volta à vida real...

Boa noite meus caros!
Dei uma sumidinha, né?! Estou muito cansado, acabou os dias de folga na casa da mamãe! Agora é estudar, estudar, estudar... enfim, só vim para deixar um 'alô' como prometido. Um grande abraço!

- "Eu quero parar num instante de eternidade e acreditar que todas as coisas boas existem e estão em algum lugar esperando para serem vividas!"

segunda-feira, 2 de agosto de 2010


“Então dê uma olhada naquele espelho, e lembre-se de ser feliz. Porque você merece ser. Acredite nisso. Acredite que seus sonhos podem se realizar todos os dias, porque eles se realizam.” (One Tree Hill – Ep.24, 6ª Temporada)

domingo, 1 de agosto de 2010

Tem tanta gente pedindo socorro...


Já reparou que em nosso cotidiano, percebemos várias pessoas pedindo socorro? Quantas vezes você já viu um mendigo pedindo esmola? Uma criança no sinal, idosos no chão das ruas pedindo restos de comida? Em toda parte existem pessoas pedindo socorro, algumas, gritam. Existem tantas pessoas sofrendo neste mundo que às vezes me sinto muito ordinário de achar que tenho problemas. A questão é: os problemas desesperadores de uma grande parcela da sociedade não anulam os nossos próprios problemas e o fato de ficarmos chateados com eles. Olhar ao redor e perceber que existem muitas pessoas com problemas muito maiores que os nossos é bom para nos fazer refletir, mas não para nos acomodar. Simplesmente aceitar a situação com a desculpa que tem muitos sofrendo mais que você é ser, no mínimo, covarde. O ideal seria lutar sempre para superar tudo o que te incomoda e entristece, mesmo que para isso tenhamos que nos livrar de velhos hábitos difíceis de largar. Se entregar ao desespero de aceitar uma vida que pode ser mudada é ser um mendigo que pode ir comer em um bom restaurante, mas prefere ficar nas ruas pedindo restos. É preciso tentar se socorrer ao invés de estar sempre esperando que alguém faça isso.
“Lembre-se que se algum dia você precisar de ajuda, você encontrará uma mão no final do seu braço. À medida que você envelhecer, você descobrirá que tem duas mãos - uma para ajudar a si mesmo, e outra pra ajudar aos outros.” (Audrey Hepburn)

sábado, 31 de julho de 2010

Happy Birthday for me!


A vida é mesmo cheia de fases! Eu me lembro que quando era criança, minha mãe sempre fazia festinhas de aniversário pra mim e eu odiava ganhar roupa de presente, queria mesmo era brinquedo. Hoje em dia, não tem mais festinha, é família e uma graninha pra gastar como quiser. Acredito que assim como nossos gostos mudam, nós também vamos mudando, evoluindo, amadurecendo. Nossas prioridades não são mais as mesmas, nosso ritmo de vida... o que me faz perceber que nem toda mudança é ruim. É preciso mudar a cada dia, deixar um pouquinho da tristeza, do medo, da insegurança, da baixa auto-estima e etc. ficarem no ontem e convidar a felicidade pra fazer parte do hoje. Quando era pequeno, sempre me imaginava maior, com os meus 17 ou 18 anos e eu não sou nadinha daquilo que eu pensava que seria o que não me faz ser pior... De uma coisa eu sei: a cada dia busco tirar lições de vida de tudo que presencio e vejo para poder ir construindo defesas, dispensando tristezas e reforçar tudo o que me faça bem. O que realmente importa eu tenho: um Deus protetor ao qual confio toda a minha vida, uma família linda que eu amo desesperadamente, amigos e – hoje em dia – amor próprio. O resto, eu sei que virá.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Em que momento da vida a gente pára de se apaixonar?


Acho essas questões de amor muito estranhas. Eu nunca fui bom nesses joguinhos de conquista e sedução, um dos meus maiores defeitos (ou qualidade) é a sinceridade. Eu não sei fingir sentimentos, muito menos camuflá-los. Eu erro, erro bastante por criar histórias com finais felizes que só existem na minha mente. Não sei se todo mundo é assim, mas acredito que até esses sujeitos do tipo “predador” devem sentir ou já sentiram algo por alguém. Todo mundo já teve aquela paixãozinha não-correspondida, mas o que difere é a maneira com que lidamos com ela. Sinceramente eu acho que a minha maneira de enfrentar os fatos já é bem mais confortante. Com a maturidade eu aprendi que a gente precisa por o sentimento pra fora. Sofri muito e inúmeras vezes. É mais cômodo nos acostumarmos com aquela gostosa relação imaginária do que encarar os fatos e correr o risco do seu sentimento não ser recíproco ou aquela pessoa já estar sendo feliz com outro alguém. Mas também existem aquelas pessoas bacanas que, mesmo não tendo sentimentos por você, se põem na sua pele, te compreendem, te tratam com carinho, mesmo sem te dar esperanças... Enfim, acredito que o coração nunca vai parar de bater mais forte por alguém ou por várias pessoas ao mesmo tempo, confundindo a nossa mente. A questão é: ou você aprende alguma coisa valiosa com cada paixão ou simplesmente as descarta depois de usufruí-las. Mas confesso uma coisa: você aprende mais sobre você e do quanto você é capaz de aprender e superar, depois que você se declara, se expõe.  O medo só deve acompanhá-lo para deixá-lo mais sensato, nunca para fazê-lo desistir!

Primeiro post!

Boa noite queridos! Estava sentindo saudades de ter um blog e resolvi refazer um. Não sei se vou conseguir atualizá-lo diariamente, mas sempre que possível virei aqui pelo menos para dar um "oi!". A respeito do título do blog, já uma mensagem legal já que, todos os dias temos que nos redescobrir. No mais espero que gostem, se divirtam, se emocionem etc e tal. Grande abraço.