quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Meu Amor

Florbela Espanca

"Trago dentro de mim, amortalhado,
Um amor de tragédia, extraordinário,
Amor que é uma cruz sobre o Calvário
Onde o meu peito jaz crucificado!

Amor que é um rosal, já desfolhado,
De pétalas dum branco funerário
Amor que tem os gelos dum sudário,
E as chamas dum inferno não sonhado!

Amor que compreende mil amores,
Amor que tem em si todas as dores,
Amor que nem eu sei o que ele encerra...

Amor de sacrifício e de saudade,
Amor que é um poema de bondade,
Amor que é o maior amor da terra!"


- Dramático, não?! Mas nem por isso deixa de ser belo! Boa noite! Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita e comentário. Que possamos redescobrir sempre, e sempre juntos, muitas coisas boas!