quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Das coisas que eu não sei

Será que eu errei todo o caminho até chegar aqui? Porque eu sinceramente acho que tudo aquilo que "juntei" até hoje foram migalhas. Ninguém é feliz com migalhas... só sobrevive. E eu quero viver! Ás vezes me sinto ingrato com a vida. Eu tenho "tudo": saúde, família e conforto enquanto tem tanta gente abandonada e passando fome. Mas é que está tudo em pedaços. E tudo o que eu "tenho" me machuca de vez em sempre. Me sinto preso: não tenho uma vida tão desgraçada da qual possa me queixar e ser digno de pena, mas também não tenho uma boa vida (a que eu sonhei/o) e normal como a dos outros. Pra mim, tudo parece ser mais difícil. Tudo mais ou menos, quase, talvez, morno. E eu estou morno. Sempre corri do "quase" e quase sou.
É triste ver que você está envelhecendo e que as coisas ainda parecem não fazer nenhum sentido. E não fazem aqui, dentro de mim.

2 comentários:

  1. Cara, sou muito sua fã, te juro. Qualquer coisa que você escreve nunca é qualquer coisa. Gosto demais.

    ResponderExcluir
  2. "E eu estou morno. Sempre corri do 'quase' e quase sou." Que tocante...
    Deus do céu... Eu to com 22 e as vezes me sinto como se tivesse 70, como se o tempo e a vida já tivessem me passado uma rasteira... Mas todo dia é um novo dia. Certo?

    Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e comentário. Que possamos redescobrir sempre, e sempre juntos, muitas coisas boas!