sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Amor de Novela

Se é pra ser amor, eu quero amor de novela.
Desesperado, urgente, intenso. Daqueles que fazem a gente ficar bobo, correr atrás, perder a linha. Fazer loucuras, serenata, mandar cartas. Quero um amor que, se acabar, me faça sofrer muito. Sim, porque a gente só sofre por aquilo que a gente queria demais. E eu não quero um amor só pra não ficar só. Eu prefiro a solidão e todos os seus monstros a um amor insosso.
Minha mãe me diz que não existe "amor de novela" na vida real. Disse que a vida passa e a gente vai seguindo o nosso rumo, se casa quando encontra uma pessoa que você tenha afinidade, respeito, carinho... e que a gente vai amando essa pessoa com o passar dos anos. Isso é muito pouco pra mim! Eu quero paixão, quero intensidade, loucura!!! Quero morrer de amores e continuar vivendo, como eternizou o mestre Mário Quintana. Quero fogo, quero dormir pensando nela e acordar feliz porque o seu sorriso veio perturbar meu sono.
O maior clichê de todos, pra mim, está certo: "A vida é uma só!". E eu quero ter vivido, pelo menos pra guardar na memória, um amor de novela. Com paixão, com verdade, com voracidade, com ternura. Pra que seja eterno o sentimento, dentro de mim.

* Para ilustrar esse texto de forma magnífica, ouçam essa música do grande Chico Buarque, nessa interpretação deliciosa da cantora Verônica Sabino. AMO essa versão!!!

Um comentário:

  1. Sei lá, mas eu já aposentei minha intensidade sentimental. Também dá pra viver um romance bonito longe do caos.
    Saudades de você no meu blog, menino

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e comentário. Que possamos redescobrir sempre, e sempre juntos, muitas coisas boas!