sexta-feira, 1 de abril de 2011

Pra você

Hoje eu quero uma poesia sem enfeites. Hoje eu não quero fantasiar meus sentimentos. Quero escrever do meu jeito démodé, sem medo de errar, sem medo de ser feliz. Não quero reservas nem polidez. Eu preciso sentir que estou vivo. Preciso de tato. De calor. Preciso de você aqui. Quem é você e aonde você está? Estou te esperando a tanto tempo que nem sei. Só sei que você existe. Tomara que também esteja procurando por mim.

2 comentários:

  1. É só parar de procurar, desejar não ter. Então assim do nada, inesperadamente, ele vem, toma conta de você e nunca mais vai embora - o amor.

    Gostei do post.
    :*

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e comentário. Que possamos redescobrir sempre, e sempre juntos, muitas coisas boas!